Pular para o conteúdo

Torta na cara

Tem gente que parece gostar de ouvir "grossuras". Coleguinhas jornalistas são mestres na arte do desenvolvimento de perguntas imbecis para respostas idiotas. E depois reclamam.


Não sou fã de Ivete Sangalo. Não levanto poeira com a moça mas, tenho que reconhecer que ela é rápida no gatilho. Escolada. No final de semana passado a moça esteve em Curitiba para um show que deveria ter ocorrido no verão, no litoral, mas que foi adiado e transferido para a capital sabe-se lá por que.


Sob o título "Arisca", a coluna Tribuna Pop reclamou o que teria considerado manisfestação de péssimo humor da artista após o espetáculo. Em material relativamente extenso sobre a entrevista após o show, a coluna se coloca ao lado de jornalista-fã que queria tirar fotos com a moça. Além disso, o texto menciona turnê européia, Copa do Mundo e, claro, fofocas. Foi na parte das fofocas que Sangalo brilhou...  e a Tribuna reclamou.


Antes de transcrever o trecho em que tripudia com o(s)/a(s) repórter(es), cujo(s) nome(s) ou veículo(s) não foram revelados na coluna, gostaria de registrar que tem gente que parece mesmo gostar de ouvir "grossuras". Coleguinhas jornalistas são mestres na arte do  desenvolvimento de perguntas imbecis para respostas idiotas. E depois reclamam.


A ver o trecho final de uma entrevista feita no camarim de Ivete Sangalo, após o show, e criticado pela imprensa local:



Hoje saiu uma matéria nacional, do seu namorado falando que já se considera casado com você e tal...
(Em tom de gozação). Uma matéria nacional! De que importância? Tá assistindo as fofocas, hein! O repórter tá estudando bastante!


Eu queria saber o seguinte, pra mandar para o nacional. Então eu preciso saber o seguinte: pensando em filhos?
Meu filho. Eu sou mulher, eu tenho saúde. Eu tenho que pensar em filhos. É um presente que Deus me deu. Só não vou tê-los se o próprio Deus não quiser. Mas eu terei filhos. Sou uma mulher saudável, feliz, e eu acho que vou proporcionar aos meus filhos um ambiente melhor do mundo.


Pois é, Ivete, mas você estava falando sobre a sua turnê, a maior da sua carreira até esse momento, do ponto de vista internacional. E você tem esse relacionamento afetivo, que é um casamento que já existe na prática. Você vai arquivar o projeto das crianças?
(Com gestos teatrais, colocando as mãos no rosto, fazendo voz de choro, e andando para trás). Como é que eu vou fazer? Eu tenho uma turnê e um relacionamento! Meu Deus, eu vou ter que optar!


Você está num momento fantástico, profissional, mas criança é outra coisa.
Mulher, deixe eu cuidar de minha vida. Que conversa mole é essa entre seus filhos e a turnê. Deixe que eu me viro.


Você mesma já comentou que estava louca para ter filhos.
Ah. Eu vou ter. Eu já tive responsabilidades gigantes que vocês não souberam.


Então dá pra conciliar carreira internacional e filhos?
Eu não vou ter o menino agora, não. Quando eu tiver o menino eu não vou poder nem esconder fisicamente. As celulites vão dizer.


Tudo bem que repórteres e veículos acreditem ser isto que o povo queira saber. Mas a imprensa não aceitar que a artista ache isso de uma cretinice enorme é no mínimo falta de senso crítico.


Ai. Ai. Ai.

Publicado em Categorias Sem categoria