Quem eu penso ser

Sou jornalista por formação e afeição. Acredito piamente no poder da educação, da inteligência, do sexo, do dinheiro e da beleza. Por exclusão, e falta de alguns destes atributos, optei por investir em educação e inteligência.

Dependendo do ângulo por onde se avalie, deu certo. Meu currículo inclui atuação em veículos do primeiro escalão nacional e na área de comunicação de empresas globais.

Gosto das palavras e de colocá-las uma enfileirada à outra, até que façam sentido. Não importa se em jornal, revista, rádio, TV, internet, planejamento, projeto, carta, ata ou promissória.

Uso computadores desde antes do XT, e fui uma das primeiras assinantes do primeiro provedor de Curitiba. Há muitos anos me livrei dos técnicos que olhavam para meu PC e diziam: “acho que vou precisar formatar o HD”. Para formatar o HD não precisava deles, queria soluções que evitassem esta ação drástica, sempre inutilmente.

Some então meu apreço às palavras, minha experiência em jornalismo e comunicação, o gosto pela tecnologia e uma inquietação para fazer com que as coisas funcionem e terá meu resumo profissional. Basicamente me dedico a achar o jeito de alguém dizer o que quer para aqueles que queiram saber o que ele tem a dizer.

Esta sou eu profissionalmente. Pessoalmente sou menos complicada. Ainda bem.

4 pensamentos em “Quem eu penso ser”

  1. Boa tarde,

    Estou contratando a SMA Espaços Sustentáveis para uma construção em containers e gostaria de uma referência do trabalho deles. Por ser um mercado novo, não tenho muitas comparações ou garantias. Eles que executaram a sua academia, né?

    Você poderia me dizer como eles foram quanto a prazos de entrega e qualidade das instalações?

    Agradeço a disposição!

  2. Bom Dia, preciso muito desse adaptador de paralamas para caloi 100 .
    Pode me orientar onde compra-lo ?

  3. Olá Márcia, tive um problema com uma dor no ombro esquerdo. Ficou uns 3 anos doendo sem parar 24hrs. Quando acordava era pior. Fui em 4 ortopedista,2 neuro, angiologista, cirurgião de ombro e mais duas benzedeiras. Kkkk. Fisioterapia não fazia nada, foram umas 40 sessões. Academia todo dia, pq um médico me disse q tinha frouxidão ligamentar. Exames tudo que é tipo. Ae do nada fui em um psiquiatra e ao mesmo tempo conheci um professor de yoga. O problema era ansiedade, na época tinha 22 anos, nunca imaginaria, nem os médicos que consultei. Único problema que não curto ansiolíticos. Larguei o tratamento e tento controlar essa ansiedade. A dor parecia que era um problema local. Ainda tenho dores mas nada comparado a essa que tive com 22 anos. Viver com dor é terrível. Boa sorte no seu tratamento. Estou te contando pq nunca eu e nem ninguém imaginou q era ansiedade.

    1. Detalhe, era programador, larguei dessa vida justamente pq o computador me gerava uma ansiedade que nem sabia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *